Sinais de egoísmo no relacionamento

AMAR_PODE_DAR_CERTO_1291237864B

Olá pessoal! Estava fazendo uma releitura do livro “Amar pode dar certo” dos autores Roberto T. Shinyashiki e Eliana Bittencourt Dumêt. No capítulo intitulado “Egoísmo: Ilusão do poder” os autores apresenta uma lista com 17 sinais de egoísmo no relacionamento por parte de um dos parceiros ou de ambos, lembrando que nem sempre a pessoa percebe que está sendo egoísta. Acho a lista bem interessante e complexa é claro, então decidi publicar e indicar a leitura do livro. Confiram abaixo os 17 sinais ou indícios de egoísmo no relacionamento:

#01 Fazer um programa a dois e não consultar o parceiro, apenas informando-o depois. E irritar-se ao não contar com a sua companhia ou aprovação.

#02 Chegar ao restaurante e fazer o pedido ao garçom, sem perguntar a quem o acompanha o que deseja comer.

#03 Falar o tempo todo e não parar para escutar o acompanhante.

#04 Dizer: “Eu sei o que é melhor para você”, em vez de perguntar: “Do que você precisa? Do que você gosta?”

#05 Não se sentir feliz com o sucesso do par.

#06 Não incentivar o crescimento do companheiro.

#07 Não se preocupar em atender alguma necessidade do outro, por achar que é bobagem.

#08 Não se lembrar do parceiro em momentos de alegria.

#09 Não dividir uma dor num momento difícil. Chegar em casa e, sistematicamente, isolar-se no trabalho, na leitura, diante da televisão ou do computador.

#10 Não respeitar os limites da outra pessoa.

#11 Desqualificar o sentimento romântico do ser amado.

#12 Não dividir tarefas domésticas.

#13 Gastar mais dinheiro consigo próprio do que as possibilidades financeiras do casal permitem.

#14 Não cuidar do outro quando ele precisa.

#15 Não se cuidar, para fazer o outro feliz.

#16 Pensar que todos os problemas da relação são apenas responsabilidade do companheiro.

#17 Exigir ser amado, mas não amar.

Bem pessoal é isso, fica a dica de leitura do livro que é maravilhoso. Pra se ter uma ideia a edição que eu tenho é a 127ª, é isso mesmo já foi bastante reeditado. Como os autores mesmo falam, o livro “Amar pode dar Certo” foi concebido para mudar a mentalidade de que amar é sempre negativo, doloroso, frustrante. Eles querem com o livro ajudar as pessoas a voltarem a acreditar no amor, no casamento, no namoro, enfim, querem fazer as pessoas perceberem que AMAR PODE DAR CERTO.

Anúncios

Carta de um perdão doloroso

carta

Por estes dias fiquei sabendo de tuas loucuras, de tuas angústias e de teu arrependimento. Não quero parecer rude, mas lembra de que te avisei? Bem que te avisei, mas em fim. Percebi agora o deslize que cometeu? Está percebendo agora os riscos de trocar o certo pelo duvidoso? Quando chorei de joelhos prostrado aos teus pés é porque eu sabia, na verdade, eu sentia que ele seria apenas uma aventura, um momento diferente, estimulante, gostoso é claro, mas passageiro.

Você disse não as minhas súplicas, mesmo assim tratei de lembrar-lhe dos nossos momentos maravilhosos e como agente estava indo bem, tudo isso na esperança de fazer você mudar de ideia, para lhe impedir de cometer esta loucura. Mas você é livre e isso tive que respeitar, não que eu quisesse, por mim eu te impediria nem que fosse a força, por meio de cárcere privado sei lá, mas não, o que eu sinto por você é amor e não sentimento de posse.

Uma vez ou outra surge tristemente na minha memória sua resposta as minhas súplicas, você respondeu que nosso relacionamento foi um erro, que não dava a mínima pra mim, eu já era passado. Aaaa! Como doeu! E tudo para quê? Para viver uma aventura, uma célere aventura. Diz-me uma coisa, o que ele lhe prometeu? Amor? Possivelmente muito amor, mas quero lembrar-te de que amor você já tinha e muito. Pode ser também que ele não tenha prometido nada, sendo você a única a apostar cegamente neste relacionamento.

Como foi difícil os primeiros momentos sem você, sabendo que estavas iludidamente feliz com outro, como era frio o meu corpo sem o seu que me aquecia todas as noites. Entretanto, o que doía mais em mim era sentir o quanto você ia se dar mal e eu não podia fazer mais nada. Você até se mudou pra perto dele, para não ter o risco de eu bater na sua porta, lhe encontrar e falar o que sentia. Os anos se passaram e veja só.

Veja só como o mundo dá voltas. Passado tudo isso, agora recebo seu pedido de perdão, gostaria de conversar pessoalmente com você, mas não queres o que posso fazer. Com muito respeito lhe respondo, a muito tempo queria dizer-te, estás perdoada, não guardo mais rancor, hoje compreendo tudo o que se passou entre nós, no entanto, quero deixar claro que ao te perdoar não estou dizendo que reataria, até porque não quero cometer o mesmo erro que você, qual seja, abandonar minha família.

Mentira: repudiada, mas, muito usada nas relações

Já escrevi em outro texto que confiança é a base para as relações, não importa se de trabalho, amizade, amorosa e reafirmo aqui essa minha posição. Agora vejamos, para ter uma relação fundamentada na confiança é imprescindível ser verdadeiro e não ser conhecido como alguém que tem o hábito de mentir descaradamente, certo? Muitas pessoas acreditam veemente que devemos sempre ser sinceros e verdadeiros nas nossas relações, no entanto, existe o outro lado da moeda, a mentira.

O filósofo e psicólogo evolutivo David Livingstone Smith afirma no livro “Por que as Pessoas Mentem?” que “A mentira é o pilar das relações sociais”. Essa afirmação deve deixar muita gente de cara feia, mas se refletirmos um pouco veremos que em certo sentido o filósofo está correto. Dizer a verdade o tempo todo é chato e pode causar constrangimento, incômodo e até conflitos. Quem nunca ficou chateado por ter tomado aquela verdade na cara?

Um estudo curioso coordenado por Robert Feldman (Professor de psicologia da Universidade de Massachusetts) mostrou que num único dia escutamos cerca de 210 mentiras e que em média uma pessoa conta três mentiras a cada 10 minutos, bota curioso nisso hein!? Outra curiosidade é que tem estudos científicos que comprovam que bebês dão sorrisos falsos para estranhos.

Devemos entender de forma pragmática que há verdades que não devem ser ditas. Assim, você poderá estar mantendo o vínculo de uma relação, protegendo uma amizade que é muito cara a você. Dizer que a mentira ajuda nas relações não é admitir que devemos construir nossas relações baseadas nela, é que às vezes se faz necessário mentir tendo em vista o bem em comum. Muitas vezes precisamos mentir pelo fato de que o momento de revelar a verdade seja inapropriado, outras para preservar nossa privacidade e/ou de outra pessoa.

Na mitomania (mentira obsessiva-compulsiva) a mentira é intensa e prejudicial. Mentiras que podem prejudicar a si mesmo e aos outros é grave e inaceitável, podendo ser entendido como uma prática desonesta. Enfim, por um lado a mentira é um recurso plausível, mas a franqueza e a honestidade devem ser tomadas como ferramentas primeiras para uma relação sólida.

O jovem Werther e o suicídio por amor

No século XVIII o romantismo estava em alta sendo expresso por várias formas artísticas, sendo a literatura a grande forma que se destacava. Foi por meio da literatura que chegou ao povo alemão e depois ao mundo o romance que marcaria época. Marcaria não só pela boa construção literária, mais também por um fenômeno trágico que se alastrou pela Europa: o suicídio por amor.

“Os sofrimentos do jovem Werther” é um romance escrito pelo grande escritor alemão Goethe publicado em 1774. Foi escrito em primeira pessoa e era uma troca de cartas entre Werther e seu amigo Wilhelm. Nessas cartas o jovem Werther narra seu cotidiano até conhecer a bela Charlotte (ou Carlota) por quem ficará loucamente apaixonado.

Goethe_(Stieler_1828)

Johann Wolfgang von Goethe

Infelizmente este amor não pode ser correspondido, pois Charlotte já está prometida a outro. Mesmo assim Werther não deixa de amá-la e toma a decisão de tornar o seu amor por Charlotte eterno cometendo suicídio. Em meio as pertubações de seus sentimentos ele se mata com um tiro de pistola na cabeça.

Leia o trecho em que Wilhelm fala da morte de Werther, é muito emocionante:

“Pela manhã, às 6 horas, o criado entrou no quarto com a luz. Encontrou o seu senhor no chão, viu a pistola e o sangue. Chamou-o, mexeu nele; nenhuma resposta, ele ainda agonizava. Correu em busca dos médicos e de Albert. Lotte ouviu alguém tocar a campanhia e um tremor convulsionou-lhe todos os membros (…). Tinha atirado na cabeça, logo acima do olho direito, fazendo saltar os miolos. Pelo sangue espalhado no espaldar da cadeira, concluiu-se que ele realizara seu intento sentado à escrivaninha, caíra em seguida, rolando convulsivamente em volta da cadeira. Estava estendido de costas perto da janela, inerte, todo vestido e calçado, de casaca azul e colete amarelo. (…) Do vinho, bebera somente um copo.”

(Tradução de Erlon José Paschoal)

O curioso de tudo isso é que esse romantismo de Werther causou uma grande comoção na Europa e influenciou os jovens de tal maneira que eles queriam se comportar como Werther. E o mais chocante é que o exemplo do suicídio foi seguido por muitos jovens na Europa causando uma grande onda de suicídios. A coisa chegou a tal ponto que o autor Goethe teve que escrever ao povo pedindo para não seguir o exemplo do jovem Werther.

Este romance traz um elemento muito marcante em matéria de amor, o desejo pelo impossível. Muitos homens e mulheres já se aventuraram por esses caminhos, amores que não podiam ser correspondidos, seja por qual motivo for. Isso reforça mais ainda a tese de que ninguém escolhe quem amar, simplesmente acontece é coisa do sentimento, aí a vida às vezes nos prega poucas e boas.

A intenção desse post é trazer a curiosidade dos suicídios relacionados ao romance escrito por Goethe que sem dúvida é um fato marcante na historia da literatura e indicar a leitura de “Os sofrimentos do jovem Werther” é uma belíssima história de amor. Tenho certeza que você vai se emocionar.

4 coisas atraentes em uma mulher que não está relacionado com o corpo ou a aprência

Nestes tempos modernos em que vivemos, as relações se tornam cada vez mais complexas. Vemos também que o corpo nunca foi tão valorizado e sensualizado publicamente como hoje. Sabemos que a pouco tempo atrás o corpo não era muito exposto e a beleza feminina era rodeada de um mistério que exalava prazer. Podemos dizer que o que atraia os homens eram a beleza da face, os contornos do corpo e o mistério por trás daqueles quilos e mais quilos de roupa.

O corpo, a aparência, continua sendo a primeira coisa a atrair, isso não significa que a mulher é atraente apenas pelo corpo, não é verdade? Agora vejamos o seguinte, existem muitos outros aspectos na mulher que não estão ligados necessariamente a aparência, e que a tornam extremamente atraentes. Listei abaixo quatro coisas que acho atraente em uma mulher que não tem nada a ver com sua aparência.

#01 BOM HUMOR

Não estou querendo dizer que uma mulher atraente tem que estar toda hora rindo e contando piadas. Não tenho dúvidas que uma mulher bem humorada é fortemente atraente. Uma pessoa bem humorada é pra frente, positiva, cativante. Imagine uma relação seca, dura, sem aqueles momentos de risos, e predisposição ao humor, seria um tédio não? Sem falar que rir faz bem a saúde.

#02 DETERMINAÇÃO E CONFIANÇA DE SI

Uma pessoa bem determinada e confiante tem força para encarar os desafios e superar obstáculos. Tendo em vista que viver a dois requer uma entrega profunda, se relacionar com pessoas determinadas e confiantes te ajudará também na sua experiência individual. Saber o que quer, e não deixar a indecisão atrapalhar seu caminho, é em minha opinião fundamental e muito atraente.

#03 PERSONALIDADE PRÓPRIA E BEM RESOLVIDA

A mulher “Maria vai com as outras” perde todo o encanto que uma mulher pode expressar. A mulher tem que ter seu estilo próprio “quase” que inconfundível. Mesmice nunca! Não estou falando de nunca usar a mesma roupa, andar com roupas e maquiagens impecáveis, e sim de autenticidade, de se mostrar como verdadeiramente você é, ser sincera e ter coragem, essas atitudes estão cada vez mais difícil em nossos dias.

#04 BOA RELAÇÃO

Uma boa relação com os amigos e familiares chama muita atenção e num relacionamento amoroso é fundamental. Aquela mulher que quando vai comer uma pizza com o namorado, amigos e/ou familiares fica com aquela cara, emburrada, pois não gosta dos amigos/familiares, vai ser uma dificuldade sem fim. Essa característica de se relacionar bem com as outras pessoas é pra mim algo que atrai enormemente.

Bem pessoal, essas são 4 coisas que acho atraente em uma mulher independentemente da aparência. Certamente existem muitas outras características na mulher que as tornam atraente sem levar em conta sua boa forma. As 4 que listei acima dão margem para outras qualidades em uma mulher ( e também no homem né!), bem como, flexibilidade, ternura e generosidade. Enfim, obrigado mais uma vez por sua visita.