Um pouco sobre: Amor platônico.

Eros_bow_Musei_Capitolini_MC410

Eros

Quase todo mundo já ouviu pelo menos uma vez este termo: Amor platônico. Mais o que

significa mesmo isso, amor platônico? Bem, ele é comumente usado para designar um

relacionamento “amoroso” em que não existe nenhum tipo de interesse, nem mesmo um

interesse sexual. No entanto, essa é uma definição de amor completamente diferente da

concepção de amor ideal de Platão (filosofo grego da antiguidade clássica). Para Platão o

amor era algo puro e não estava ligado a paixões que são cegas e falsas. O amor para Platão

é fundamentado não num interesse, mas na virtude. No seu livro “O banquete”

Platão considera o amor como sendo a raiz de todas as virtudes e da verdade.

Anúncios

Um pouco sobre: Amar uma única vez

Nelson Rodrigues fala que só existe o primeiro amor, só se ama de verdade uma única vez. Estaria certo o “anjo pornográfico” (é como Nelson ficou conhecido)? Amar uma única vez é um fardo muito pesado pro ser humano, e quem sabe amar muitas vezes também seja complicado. Querer amar alguém é um desejo universal e tal desejo se realiza em algum momento da sua vida. Levando em consideração a afirmação acima vejamos o seguinte, João e Maria se amam loucamente, mais por algum motivo esse amor se apagou, e agora estão separados. Então, esse amor era verdadeiro ou esse relacionamento era apenas uma paixão passageira (lembrando que uma pessoa pode amar alguém e não estar com ela)? Se foi verdadeiro pensando no que Nelson falou, João e Maria não poderiam mais amar, pois já amaram. É possível que seja assim mesmo? Se tomarmos a afirmação de Nelson como certa, isso pode ser um pesadelo para aquele que sabe que sua esposa teve um grande amor, e agora ela nunca vai poder amá-lo tendo em vista que já amou alguém. Que situação! O que vocês acham?

Um pouco sobre: Poliamor

O significado de poliamor pode variar dependendo do contexto, mais no geral o termo é usado para designar uma relação íntima entre vários parceiros. Os que acreditam no poliamor defendem que é possível manter uma relação íntima duradoura, com responsabilidade e muito profunda envolvendo várias pessoas ao mesmo tempo. O poliamor não é novo, os gregos na antiguidade clássica já praticavam e era algo comum. Mas hoje se mostra um pouco diferente. Acreditar que você esta isento de ciúmes numa relação poliamorosa é algo que foge ao ser humano moderno. Dizer que uma relação poliamorosa esta isenta de conflitos sentimentais é uma furada. Muitas pessoas veem o poliamor como um modo de vida e isso deve ser respeitado. E você, o que acha, é possível poliamar?

Um pouco sobre: Felicidade

A tão sonhada felicidade é na contemporaneidade o objetivo primeiro das pessoas, é uma meta que vale qualquer coisa para ser atingida chegando ao ponto de nos cegar diante do real. Há até livros que são vendidos aos montes com receitas ou passo-a-passo para a felicidade como se todos os indivíduos fossem únicos, com uma subjetividade igual para os Josés, Marias, Franciscos, etc. Algumas vezes ouvimos que pra ser feliz não precisamos disso ou daquilo, mais digo o seguinte, pra ter momentos felizes sempre precisaremos de alguma coisa, a felicidade sempre esta ligada a algo. Dai a complexidade de viver sob a busca desenfreada pela felicidade a qualquer custo, às vezes aquele algo necessário para ser feliz coloca o outro numa condição difícil pelo simples fato de sua felicidade nem sempre depender só de você.  O professor Clóvis de Barros em um vídeo falando sobre a felicidade faz uma observação relevante, ele diz que a “felicidade esta nas coisas e não em nós”. Atrelo isso ao que escrevi mais acima sobre sempre precisarmos de algo para ser feliz.