Quando te encontrei

 

Fazia muito tempo que saí em sua busca.

A caminhada foi muito árdua e longa, ás vezes pensava até em desistir.

Mas algo em mim dava força para continuar e

esperança de que um dia encontraria um grande amor.

Em meio a esta incessante busca, passei por muitas transformações.

Fui ator, pintor, literato, poeta, aventureiro.

Pintei muitas faces, mas não te encontrei.

Escrevi romances, mas você não era a heroína.

Fiz poesias, mas nenhuma conseguiu exprimir a sua essência.

Mesmo assim, mesmo assim, sabia e sentia que você era real.

Então decidi continuar e enfrentar todas as dificuldades, que não foram poucas.

Passado muito tempo, mais uma vez o desânimo tomou conta de mim,

Já não era o mesmo jovem e quando eu achava que minha busca tinha sido frustrada,

eis que te encontro.

Meu coração como que num susto disparou a bater em descompasso.

Seu olhar para mim demostrava o mesmo, seu sorriso me arrebatou.

Quando você veio em minha direção, minhas pernas paralisaram, eu estava sem reação.

Dentro de mim eu gritava, “lhe encontrei, sabia que você era real, eu sabia, eu sabia”.

Esperava sua aproximação com braços estendidos e sorriso largo, mas estava cansado.

Ao te tocar, meus olhos se fecharam, caído em teus braços descansava,

a busca por você consumiu toda minha energia, me esforcei em vão para abrir os olhos,

mas sentia teu toque, teu afago, teu cheiro.

Em fim, todo meu esforço foi recompensado quando finalmente te encontrei.

 

Aprendiz de Poeta

Sinais de egoísmo no relacionamento

AMAR_PODE_DAR_CERTO_1291237864B

Olá pessoal! Estava fazendo uma releitura do livro “Amar pode dar certo” dos autores Roberto T. Shinyashiki e Eliana Bittencourt Dumêt. No capítulo intitulado “Egoísmo: Ilusão do poder” os autores apresenta uma lista com 17 sinais de egoísmo no relacionamento por parte de um dos parceiros ou de ambos, lembrando que nem sempre a pessoa percebe que está sendo egoísta. Acho a lista bem interessante e complexa é claro, então decidi publicar e indicar a leitura do livro. Confiram abaixo os 17 sinais ou indícios de egoísmo no relacionamento:

#01 Fazer um programa a dois e não consultar o parceiro, apenas informando-o depois. E irritar-se ao não contar com a sua companhia ou aprovação.

#02 Chegar ao restaurante e fazer o pedido ao garçom, sem perguntar a quem o acompanha o que deseja comer.

#03 Falar o tempo todo e não parar para escutar o acompanhante.

#04 Dizer: “Eu sei o que é melhor para você”, em vez de perguntar: “Do que você precisa? Do que você gosta?”

#05 Não se sentir feliz com o sucesso do par.

#06 Não incentivar o crescimento do companheiro.

#07 Não se preocupar em atender alguma necessidade do outro, por achar que é bobagem.

#08 Não se lembrar do parceiro em momentos de alegria.

#09 Não dividir uma dor num momento difícil. Chegar em casa e, sistematicamente, isolar-se no trabalho, na leitura, diante da televisão ou do computador.

#10 Não respeitar os limites da outra pessoa.

#11 Desqualificar o sentimento romântico do ser amado.

#12 Não dividir tarefas domésticas.

#13 Gastar mais dinheiro consigo próprio do que as possibilidades financeiras do casal permitem.

#14 Não cuidar do outro quando ele precisa.

#15 Não se cuidar, para fazer o outro feliz.

#16 Pensar que todos os problemas da relação são apenas responsabilidade do companheiro.

#17 Exigir ser amado, mas não amar.

Bem pessoal é isso, fica a dica de leitura do livro que é maravilhoso. Pra se ter uma ideia a edição que eu tenho é a 127ª, é isso mesmo já foi bastante reeditado. Como os autores mesmo falam, o livro “Amar pode dar Certo” foi concebido para mudar a mentalidade de que amar é sempre negativo, doloroso, frustrante. Eles querem com o livro ajudar as pessoas a voltarem a acreditar no amor, no casamento, no namoro, enfim, querem fazer as pessoas perceberem que AMAR PODE DAR CERTO.

Carta de um perdão doloroso

carta

Por estes dias fiquei sabendo de tuas loucuras, de tuas angústias e de teu arrependimento. Não quero parecer rude, mas lembra de que te avisei? Bem que te avisei, mas em fim. Percebi agora o deslize que cometeu? Está percebendo agora os riscos de trocar o certo pelo duvidoso? Quando chorei de joelhos prostrado aos teus pés é porque eu sabia, na verdade, eu sentia que ele seria apenas uma aventura, um momento diferente, estimulante, gostoso é claro, mas passageiro.

Você disse não as minhas súplicas, mesmo assim tratei de lembrar-lhe dos nossos momentos maravilhosos e como agente estava indo bem, tudo isso na esperança de fazer você mudar de ideia, para lhe impedir de cometer esta loucura. Mas você é livre e isso tive que respeitar, não que eu quisesse, por mim eu te impediria nem que fosse a força, por meio de cárcere privado sei lá, mas não, o que eu sinto por você é amor e não sentimento de posse.

Uma vez ou outra surge tristemente na minha memória sua resposta as minhas súplicas, você respondeu que nosso relacionamento foi um erro, que não dava a mínima pra mim, eu já era passado. Aaaa! Como doeu! E tudo para quê? Para viver uma aventura, uma célere aventura. Diz-me uma coisa, o que ele lhe prometeu? Amor? Possivelmente muito amor, mas quero lembrar-te de que amor você já tinha e muito. Pode ser também que ele não tenha prometido nada, sendo você a única a apostar cegamente neste relacionamento.

Como foi difícil os primeiros momentos sem você, sabendo que estavas iludidamente feliz com outro, como era frio o meu corpo sem o seu que me aquecia todas as noites. Entretanto, o que doía mais em mim era sentir o quanto você ia se dar mal e eu não podia fazer mais nada. Você até se mudou pra perto dele, para não ter o risco de eu bater na sua porta, lhe encontrar e falar o que sentia. Os anos se passaram e veja só.

Veja só como o mundo dá voltas. Passado tudo isso, agora recebo seu pedido de perdão, gostaria de conversar pessoalmente com você, mas não queres o que posso fazer. Com muito respeito lhe respondo, a muito tempo queria dizer-te, estás perdoada, não guardo mais rancor, hoje compreendo tudo o que se passou entre nós, no entanto, quero deixar claro que ao te perdoar não estou dizendo que reataria, até porque não quero cometer o mesmo erro que você, qual seja, abandonar minha família.