Mensagem #3

Enquanto houver vontade de lutar haverá esperança de vencer. (2)

Anúncios

PRÊMIO DARDOS

Olá pessoal! É com muita satisfação e alegria que compartilho com vocês a indicação ao prêmio Dardos. Fui indicado ao prêmio por Ana Brocker, a você Ana meus mais sinceros agradecimentos.

prc3aamio-dardos

O Prêmio Dardos é uma espécie de selo virtual criado em 2008 pelo escritor Alberto Zambade, autor do blog  Leyendas de “El Pequeño Dardo” El Sentido de las Palabras. Ele selecionou e indicou o selo a quinze blogs que ele considerou merecedores do prêmio, os quais também indicaram outros 15 e assim sucessivamente, criando uma imensa corrente na internet. O objetivo do Prêmio Dardos é reconhecer os esforços de blogueiros, a cada dia, para transmitir princípios culturais, éticos, literários, pessoais etc., manifestando a criatividade através de seus pensamentos presentes em suas palavras e textos.

REGRAS DO PRÊMIO DARDOS:

  • Indicar 15 blogs que preencham os requisitos acima para receber o prêmio.
  • Exibir a imagem do selo.
  • Mencionar o blog de que recebeu a indicação e pôr o link dele.
  • Avisar aos blogs escolhidos.

OS BLOGS INDICADOS PARA RECEBER O PRÊMIO DARDOS SÃO:

Meus contos e pensamentos                            Sentimento & Emoção

Deixa disso, garota!                                             Um coração igual ao teu

Espalhe Feminices                                              Uma pedra no caminho

Vício Lícito                                                             Em busca de mim mesmo

urb@nahaus                                                          O eu insólito

Universo Inconsequênte                                   Vida a três

Quase que tudo                                                     Paraísos Artificiais

Alice na Lua

Muito provavelmente alguns já tenham sido indicados, mas fica o reconhecimento de minha parte.

Um forte abraço a todos!

Zoranildo Santos

 

 

Mentira: repudiada, mas, muito usada nas relações

Já escrevi em outro texto que confiança é a base para as relações, não importa se de trabalho, amizade, amorosa e reafirmo aqui essa minha posição. Agora vejamos, para ter uma relação fundamentada na confiança é imprescindível ser verdadeiro e não ser conhecido como alguém que tem o hábito de mentir descaradamente, certo? Muitas pessoas acreditam veemente que devemos sempre ser sinceros e verdadeiros nas nossas relações, no entanto, existe o outro lado da moeda, a mentira.

O filósofo e psicólogo evolutivo David Livingstone Smith afirma no livro “Por que as Pessoas Mentem?” que “A mentira é o pilar das relações sociais”. Essa afirmação deve deixar muita gente de cara feia, mas se refletirmos um pouco veremos que em certo sentido o filósofo está correto. Dizer a verdade o tempo todo é chato e pode causar constrangimento, incômodo e até conflitos. Quem nunca ficou chateado por ter tomado aquela verdade na cara?

Um estudo curioso coordenado por Robert Feldman (Professor de psicologia da Universidade de Massachusetts) mostrou que num único dia escutamos cerca de 210 mentiras e que em média uma pessoa conta três mentiras a cada 10 minutos, bota curioso nisso hein!? Outra curiosidade é que tem estudos científicos que comprovam que bebês dão sorrisos falsos para estranhos.

Devemos entender de forma pragmática que há verdades que não devem ser ditas. Assim, você poderá estar mantendo o vínculo de uma relação, protegendo uma amizade que é muito cara a você. Dizer que a mentira ajuda nas relações não é admitir que devemos construir nossas relações baseadas nela, é que às vezes se faz necessário mentir tendo em vista o bem em comum. Muitas vezes precisamos mentir pelo fato de que o momento de revelar a verdade seja inapropriado, outras para preservar nossa privacidade e/ou de outra pessoa.

Na mitomania (mentira obsessiva-compulsiva) a mentira é intensa e prejudicial. Mentiras que podem prejudicar a si mesmo e aos outros é grave e inaceitável, podendo ser entendido como uma prática desonesta. Enfim, por um lado a mentira é um recurso plausível, mas a franqueza e a honestidade devem ser tomadas como ferramentas primeiras para uma relação sólida.

Desabafo de um jovem pessimista: parte II

Farol_Melancólico

Carta ao público,

Entre a vida e a morte, prefiro o nada. O silêncio da angústia é minha amiga. É no abismo que vejo o nada mais de perto, um frivião espiritual que me faz contorcer. O meu coração esta cheio, transbordando de uma paz cinza que reflete um sofrimento educador. A angústia da vida é pra mim pedagógica, aprendi a vivenciar a experiência com altivez e sinceridade.

“Toda vida é sofrimento”, diz Schopenhauer e nela me deleito como abelha ao mel. Quero me distanciar da vida feliz e otimista, que adoece o coração com a crença exacerbada na esperança. A última alegria, o último desejo, o último momento da vida deve ser o mais profícuo e verdadeiro momento, pois é aí que o finito se torna eterno.

Minha visão pessimista é esta, que encara o mundo como o reino das possibilidades do acerto e do erro, que busca efetivar um objetivo, mas sempre tendo em mente que pode dar errado. Não me guio por certezas, mas sim por possibilidades. Pensando a história da religião, da bíblia mais propriamente dita, vemos que Deus criou o mundo para apenas duas pessoas, Adão e Eva. Hoje vivemos num mundo de quase sete bilhões de pessoas, o caos está posto a bastante tempo. Não abro mão da compreensão e significação do mudo mesmo que isso me coloque diante do abismo, do nada, da morte.

Desculpe-me você caro leitor se por acaso não estou sendo claro, às vezes eu mesmo me perco entre as palavras. Não escrevi no intento de convencer-lhe, escrevi espontaneamente. Peço encarecidamente que você dê seu veredito e se alegre com os erros de português e com as possíveis incoerências das ideias.

Aprendiz de Poeta

Confira também: Desabafo de um jovem pessimista: parte I

Te esquecer, canalha

 

Não me venha com suas desculpas esfarrapadas

Não mais me enganarás, sairei por aquela porta e

Deixarei para trás toda a nossa história.

Quem dera eu ter ouvido as súplicas do destino

E não tivesse sucumbido aos teus caprichos.

 

Somente uma pessoa medíocre como você despertaria

O amor em outra só para depois destruir os sonhos vividos.

Canalha, canalha, teu coração é podre.

Quem dera eu nunca ter te conhecido

E agora como vou te esquecer? Será que ainda te amo?

 

Não, não! Lutarei contra meus sentimentos, usarei a razão

Para refrear minhas paixões e não vou dar o braço a torcer

Esquecer-te é minha meta, este objetivo alcançarei

E quem dera eu tivesse poderes mágicos,

Te esqueceria num segundo.

Zoranildo Santos